A Dieta da Gota

Por setembro 20, 2011 Dieta Um Comentário
A Dieta Cambridge
Benefícios da Dieta do Homem das Cavernas

 

Definição

A dieta da Gota é uma rotina nutricional que inclui o consumo de alimentos pobres em purinas, ajudando a reduzir a gravidade e o número de ocorrência de ataques de Gota. A Gota trata-se de uma forma de Artrite tendo como sintomas: dor subita e severa, vermelhidão, inchaço e sensibilidade nas articulações.

Origens

A dieta e a doença estão associadas há mais de dois mil anos atrás, sendo o tipo de Artrite mais antiga conhecida, tendo sido descrita pelo grego Hipocrates Physinan (2.500 anos). Ficou posteriormente conhecida como a doença dos reis devido a estar associada a uma ingestão de alimentos ricos em purinas e consumo excessivo de álcool. Um estilo de vida à qual só os ricos tinham acesso.

 

A associação entre a Gota e a produção de ácido úrico é conhecida desde 1800.

No seu livro médico de 1861, Gunn’s New Domestic Physician: Home Book of Health, o médico Norte-Americano, Jonh Gun descreve a doença da Gota como: "Uma doença peculiar, um tanto ou quanto parecida com o reumatismo, que afecta as articulações, geralmente as ligadas ao pé ou dedos do pé". Afirmou que a causa da doença deriva do excesso de ácido úrico no sangue. Essa descrição continua ainda hoje a ser precisa, embora muito mais se saiba sobre a Gota desde então, incluindo a forma como ela se desenvolve, o que provoca, e como pode ser tratada.

 

No entanto, foi em 1960 que os pesquisadores desenvolveram uma compreensão exacta sobre a bioquimica aliada à produção de ácido úrico no organismo. Com esse entendimento surgiu uma terapia médica e dietética eficaz de combate aos sintomas.

Gota

Factores de risco de gota

  • Historial familiar da doença
  • Sexo Masculino – maior risco
  • Excesso de peso
  • Consumo excessivo de álcool
  • Dieta rica em purinas
  • Defeito enzimático, tornando-se difícil para o corpo eliminar as Purinas
  • Exposição ao chumbo no ambiente
  • Receptor de transplante de órgãos
  • Uso de medicamentos como diuréticos tais como aspirina, ciclosporina, ou levodopa
  • Ingestão de niacina (vitamina)

Sinais de gota

  • Hiperuricemia
  • Presença de cristais de ácido úrico no líquido articular
  • Reincidência de ataques de artrite aguda
  • Artrite que surge sem sintomas previos,levando ao inchaço da Articulação e vermelhidão.
  • Ataque de Artrite em apenas uma articulação (habitualmente nos dedos do pé,tornozelo ou joelho)

FONTE: National Institute of Arthritis and Musculoskeletal and Skin Diseases, National Institutes of Health, U.S. Department of Health and Human Services.

 

 

(Ilustração de Informação GGS Serviços / Thomson Gale.)

Em 1800 a dieta da Gota foi desenvolvida de modo a evitar a ingestão de "alimentos ricos" contidos em creme de leite e outros produtos lácteos também eles ricos em gordura, assim também como as bebidas alcóolicas. Na década de 1960 a 1970, com um conhecimento mais exacto e aprofundado sobre a Gota e a produção de ácido úrico, a dieta foi revista e actualizada. É incentivada a redução de ingestão de alimentos com alto teor de gordura assim como alto teor proteico: álcool, café, refrigerantes, anchovas, espargos, carne (coração e fígado animal), marisco e legumes.

Descrição

A dieta da Gota é pobre em purinas (que compõem o DNA) sendo rigorosa em relação a carnes vermelhas e a frutos do mar. Tradicionalmente, os médicos aconselhavam os seus pacientes a evitar ou a eliminar da sua alimentação a ingestão destes alimentos. Nos alimentos ricos em Purinas estão incluidos: sardinha, cavala, mexilhões, ganso, caviar, extractos de levedura. No entanto, existem alimentos ricos em Purina que poderão ser consumidos em moderação: frutos do mar – carangueijo, camarão; legumes – lentilhas, ervilhas, espargos, couve-flor, cogumelos, espinafres, gérmen de trigo; carnes vermelhas; aves e trutas. 

Não existem restrições na ingestão de alimentos pobres em purina, estando incluídos neste grupo os produtos lácteos, nozes, ovos, massas, pão de grão ou cereais, chocolate, gorduras saudáveis (manteiga, margarina, óleo culinário).

Numa pesquisa médica realizada entre 2004 a 2006, foi sugerido que as dietas vegetarianas com base em vegetais e produtos à base de soja, produzissem menos Gota em relação à dieta habitual que incluia carnes e marisco. O ácido úrico encontra-se na urina e no sangue, produzido como resultado da decomposição de residuos de nitrogénio pelo organismo.

O paciente masculino ao ingerir menos carnes e marisco e reduzindo também nos produtos lácteos com alto teor de gordura, poderá reduzir até 50% a acção da doença, de acordo com um estudo levado a cabo há 12 anos, tendo sido analisados 50.000 Homens com histótico de Gota. Foi estudo foi conduzido pelo Reumatologista Hyon K.Choi e outros pesquisadores de Massachusets, Hospital de Boston, onde estudaram homens com idades entre os 40 e os 75 anos. Durante a realização do estudo, os sujeitos, eram acompanhados diariamente por profissionais de saúde, sendo interrogados periodicamente sobre a ingestão de alimentos (130 alimentos/bebidas em estudo). As perguntas incluiam o peso, os medicamentos tomados e a sua condição médica. No final do estudo, 730 Homens (cerca de 2%) tinham desenvolvido a doença.


Desta forma a análise concluiu que os sujeitos com maior consumo de frutos do mar terão acrescido para 51% a probabilidade de desenvolver Gota, mais do que os sujeitos que teriam consumido em pequenas quantidades o mesmo alimento.

Concluiu-se também que os Homens em estudo que consumiram carnes Bovinas, carne de porco e carneiro, tiveram uma incidência de Gota de 41% relativamente aos que teriam consumido uma menor quantidade desses alimentos.

Os sujeitos que tiveram um maior consumo de produtos de baixo teor de gordura tiveram uma taxa de reincidência de 42% relativamente aqueles que consumiram uma menor quantidade de produtos lácteos. Alguns vegetais ricos em Purinas que anteriormente eram associados ao risco de desenvolver a doença foram introduzidos na dieta contrariamente ao que se acreditava, para a diminuição do risco de contrair a doença. Nesses vegetais estão incluidos: ervilhas, feijões, cogumelos, couve flor, espargos, espinafres.

O estudo também analisou o papel do consumo de álcool no aumento de doenças associadas a Gota. Nesses casos o risco de Gota aumentou em 30% relativamente às pessoas que não consumiam álcool diariamente. Verificou-se que duas bebidas por dia aumentavam o risco em 50%, enquanto que o consumo de três bebidas acrescem o risco para 100%. No entanto, existem diferenças de riscos de acordo com o tipo de bebida álcoolica específica ingerida. Desta forma 2 copos de vinho por dia não aumenta o risco relativamente aos sujeitos que não bebiam vinho. Bebidas álcoolicas que não incluam vinho aumentam o risco para 15%, enquanto a cerveja aumentou o risco para 49% por bebida. Os pesquisadores estão contudo incertos quanto ao risco de Gota e a sua variação dependentemento do tipo de álcool consumido. Alguns sugerem que outras bebidas não álcoolicas possuem também ingredientes que não se encontram no vinho ou cerveja, que podem ser responsáveis pelo risco de desenvolver a doença.

O que é gota?

A Gota, também conhecida como Artrite Gotosa, é uma forma dolorosa mas tratável de artrite que afecta entre cinco milhoes de Americanos, principalmente Homens com idades superiores a quarenta anos. A doença é caracterizada por dores súbitas e intensas, vermilhidão, inchaço, calor, rigidez e inflamação numa articulação, afectando habitualmente os dedos dos pés.

Os ataques de Gota estão geralmente limitados a uma articulação apenas por ataque, podendo ocorrer no peito do pé, tornozelos, calcanhares, pés e mãos, joelhos, pulsos, dedos e cotovelos. A Gota é provocada pelos cristais de ácido úrico, uma substância que resulta da degradação metabólica das Purinas encontradas em muitos alimentos, fazendo estas também parte do tecido Humano. O ácido úrico é normalmente dissolvido no sangue e filtrado nos rins saindo para a urina. Se existe um aumento da produção de ácido úrico o corpo poderá não conseguir eliminá-lo pelos rins, podendo vir a acumular-se no sangue, resultando numa condição chamada Hiperuricemia (ácido úrico em níveis elevados). Esta situação conduz ao aparecimento de Gota. O excesso de ácido úrico pode também acumular-se nos rins, causando as pedras nos rins.

 

Orientações Dietéticas Gerais:

 

Os pacientes com Gota deverão consultar o seu médico de forma a serem desenvolvidos planos de refeições individualizados de acordo com as necessidades do doente. Estas dietas deverão ser rigorosamente seguidas, especialmente pelos pacientes com doenças cardiacas, pressão alta ou diabetes.

As Orientações Dietéticas são:

  • Limitar o consumo de proteínas de carne e substituir por produtos lácteos de baixo teor de gordura, ou sem gordura, e produtos de soja como o Tofu e Soja.
  •  Consumir produtos lácteos pobres em gordura.
  • O consumo de gordura deve ser limitado ao total de 30% de calorias diárias.
  • Cuidados com o Colesterol
  • Manter um peso saudável é essencial
  • O álcool, especialmente cerveja, deve ser evitado.
  • É importante manter a hidratação, beber 8-10 copos de água (preferencialmente) por dia.

A gestão da Gota é centrada na redução do ácido úrico do organismo, tendo em conta os sintomas frequentes dos pacientes. Estes incluiem: Diabetes, obesidade, colesterol alto, pressão arterial e Aterosclerose (endurecimento das artérias). Uma dieta com alimentos com baixo teor em Purinas é recomendada para a maioria das pessoas com Gota embora não seja possível eliminar completamente as purinas da dieta. A Arthritis Foundation recomenda que as pessoas com Gota aprendam por tentativas e erros nos alimentos que lhes causam problemas, e conheçam os seus limites pessoais relativamente a certos alimentos. Laura Rall, pesquisadora de nutrição na Universidade Tufts, em Boston, defende o método de tentativa e erro como forma de desenvolver uma dieta adequada a cada paciente: " Comece por eliminar os alimentos da categoria de alto teor em Purina, reduzindo depois os alimentos na categoria moderada de Purina. Se não tiver ataques de Gota após tentar este método, poderá adicionar à sua dieta alimentos de categoria moderada ou ocasionalmente alimentos altos em Purinas. Usando estas directrizes, conseguirá determinar uma alimentação com um íivel seguro de consumo de purina, desfrutando das suas comidas favoritas sem sofrer ataques (Gota).

 

Função

A função de uma dieta da Gota é diminuir os níveis de ácido úrico no sangue ao se comer menos carne e produtos ricos em purinas, que aumentam os níveis de ácido úrico no sangue. Ao reduzir os níveis de ácido úrico no sangue, as pessoas que sofrem de Gota geralmente experimentam uma diminuição dos sintomas de dor e inchaço nas articulações atingidas pela doença. Sem tratamento adequado, a Gota poderá levar a lesões nas articulações, e em casos mais graves conduzir a invalidez.

A Gota é também associada a um aumento do risco de doenças cardíacas e doenças renais, segundo o American College of Rheumatology.

 

A Dieta Cambridge
Benefícios da Dieta do Homem das Cavernas

One Comment

Poste um comentário

Leia o post anterior:
Nutrição Para os Idosos

Como outros grupos etários, os idosos devem seguir dietas equilibradas, que incluem uma variedade de alimentos saudáveis ​​e minimizar a...

Fechar