Desidratação e exercícios físicos

Sintomas de desidratação em recém-nascidos
Doenças que causam sede excessiva
A desidratação, mesmo que leve a moderada, pode criar consequências potencialmente prejudiciais para o seu corpo durante o exercício físico. Não beber líquido suficiente ou perder muito fluido corporal provoca desidratação. Essa doença pode espessar seu sangue, fazer com que seus vasos sanguíneos fiquem mais estreitos e aumentar seu risco de desenvolver coágulos sanguíneos, de acordo com algumas instituições de saúde. O exercício sob estas condições é perigoso e também pode prolongar os efeitos da desidratação, causando até mesmo um aumento de gravidade de um caso leve.

Exercício

Exercitar-se enquanto desidratado pode produzir consequências significativas. A atividade vigorosa em condições quentes ou úmidas acima de 26ºC pode resultar em perdas de fluido superiores a 1 litro por hora. Seu corpo pode perder mais água do que absorvê-la, tornando mais difícil ficar hidratado quanto mais você se exercita. A desidratação também é um processo cumulativo. Você pode tornar-se desidratado com uma rotina de exercícios moderada se não beber bastante líquido para substituir o que perde diariamente.

Consequências

A desidratação ocorre quando o fluido do corpo é perdido em quantidades significativas. À medida que o líquido se perde da corrente sanguínea e dos tecidos do corpo, ocorre um desequilíbrio eletrolítico. Exercitar-se nessas condições pode ter consequências que vão desde ondas de calor moderadas até a insolação potencialmente fatal. Convulsões podem ocorrer como resultado do desequilíbrio eletrolítico, causando contrações musculares involuntárias e uma potencial perda de consciência. O baixo volume de sangue também pode causar choque hipovolêmico, o que cria uma queda na pressão arterial e diminui significativamente a quantidade de oxigênio disponível para o corpo, tornando o exercício perigoso.

Sintomas

Se você demonstrar algum dos seguintes sintomas, evite exercitar-se até ter se hidratado adequadamente. Sintomas de desidratação leve, que ainda devem ser cuidadosamente monitorizados, incluem uma boca seca e pegajosa, sede, pele seca, dor de cabeça, diminuição da urina, tonturas e constipação. Se esses sintomas não forem devidamente tratados, pode ocorrer desidratação grave, que apresenta sintomas como sede extrema, pouca ou nenhuma micção, respiração rápida, febre, irritabilidade intensa e inconsciência.

Prevenção

Para evitar a desidratação, beba uma quantidade adequada de líquidos várias horas antes do exercício, para permitir que os fluidos sejam absorvidos pelos tecidos. Durante o exercício, mantenha-se em áreas mais frias e sombreadas, se possível, e leve líquidos com você o tempo todo. Experimente exercitar-se durante o horário mais cedo da manhã e no final da noite, quando o calor e a umidade estiverem em seus pontos mais baixos. Se o seu treino dura mais de 45 minutos, consuma uma bebida esportiva que contenha sódio e potássio durante a sessão. Depois de se exercitar, você deve consumir 700 ml de água por cada 450 g de peso corporal perdido para reidratar-se adequadamente.

Sintomas de desidratação em recém-nascidos
Doenças que causam sede excessiva

Poste um comentário

Leia o post anterior:
Doenças que causam sede excessiva

Polidipsia é o termo médico para a sede excessiva. As condições que causam perda extrema de fluidos do corpo podem...

Fechar