Identificar um neurotransmissor

Por setembro 6, 2017 Taís Sem Comentários
Ácido láctico no cabelo
Aliviar a ansiedade com arteterapia

Um neurotransmissor é um mensageiro químico que transporta, aumenta e modula sinais entre neurônios e outras células no corpo.

Na maioria dos casos, um neurotransmissor é liberado a partir do terminal axonal depois de um potencial de ação atingir a sinapse. O neurotransmissor, em seguida, atravessa o espaço sináptico para chegar ao local do receptor da célula ou outro neurônio. Em seguida, em um processo conhecido como recaptação, o neurotransmissor liga-se ao local do receptor e é reabsorvido pelo neurônio.

Neurotransmissores desempenham um papel importante na vida cotidiana e no funcionamento do organismo. Os cientistas ainda não sabem exatamente quantos neurotransmissores existem, mas mais de 100 mensageiros químicos foram identificados.

Quando neurotransmissores são afetados por doença ou drogas, pode haver uma série de diferentes efeitos adversos no corpo. Doenças como Alzheimer e Parkinson são associadas com déficits de certos neurotransmissores.

Tipos de neurotransmissores

Os neurotransmissores podem ser classificados por função:

Neurotransmissores excitatórios: esses tipos de neurotransmissores têm efeitos excitatórios sobre o neurônio; eles aumentam a probabilidade de o neurônio disparar um potencial de ação. Alguns dos principais neurotransmissores excitatórios incluem epinefrina e norepinefrina.
Neurotransmissores inibitórios: esses tipos de neurotransmissores têm efeitos inibitórios sobre o neurônio; eles diminuem a probabilidade de o neurônio disparar um potencial de ação. Alguns dos principais neurotransmissores inibidores incluem serotonina e ácido gama-aminobutírico (GABA).
Alguns neurotransmissores, tais como a acetilcolina e dopamina, podem ter tanto efeitos excitatórios como inibidores, dependendo dos tipos de receptores que estão presentes.

Eles também podem ser classificados como um dos seis tipos:

  • Acetilcolina
  • Aminoácidos: ácido gama-aminobutírico (GABA), glicina, glutamato, aspartato.
  • Neuropeptídeos: oxitocina, endorfina, vasopressina etc.
  • Monoaminas: adrenalina, noradrenalina, histamina, dopamina e serotonina.
  • Purinas: adenosina, ATP.
  • Lipídeos e gases: óxido nítrico, canabindes.

Identificar neurotransmissores

A identificação real de neurotransmissores pode ser muito difícil. Embora os cientistas possam observar as vesículas contendo neurotransmissores, descobrir que produtos químicos são armazenados nas vesículas não é tão simples.

Devido a isso, os neurocientistas têm desenvolvido uma série de diretrizes para determinar se uma substância química deve ou não ser chamada de um neurotransmissor:

  • O produto químico tem de ser produzido no interior do neurônio.
  • As enzimas necessárias precursoras devem estar presentes no neurônio.
  • Deve haver produto químico presente suficiente para realmente ter um efeito pós-sináptico sobre o neurônio.
  • O produto químico tem de ser liberado pelo neurônio pré-sináptico, e o neurônio pós-sináptico deve conter receptores ao qual o produto químico se ligará.
  • Tem de haver um mecanismo ou recaptação de enzima presente que iniba a ação da química.
Ácido láctico no cabelo
Aliviar a ansiedade com arteterapia

Poste um comentário

Leia o post anterior:
Astrágalo é bom para a saúde?

Astrágalo é uma planta nativa da Ásia. O nome chinês da erva, huang qi, significa “líder amarelo”, porque a raiz...

Fechar